Bicicletas elétricas X bicicletas comuns

As bicicletas elétricas, ou e-bikes, se tornaram ótima opção de meio de transporte, confiável e ecológico. Especialmente para aqueles que precisam de uma ajuda extra, seja para transportar crianças pequenas ou uma carga de mantimentos em uma ladeira íngreme.

Recentemente houve uma ação judicial envolvendo a polícia da Prefeitura de Kyoto e a vendedora de bicicletas elétricas Kyo no Rakusuku, e o caso envolveu uma propaganda ilegal.

As normas de trânsito

As bicicletas elétricas não devem ser capazes de fornecer assistência motora que ultrapasse 24 km/h, por motivos de segurança. Pois se for mais rápida que isso, deve ser classificada como motocicleta, o que exige carteira de habilitação apropriada, placa, luzes de freio, pisca e registro. Uma vez que para conduzir uma e-bike, nenhum dos pontos citados são exigidos.

Podem ser dirigidas por pessoas com mais de 16 anos e o uso do capacete é obrigatório. Devem utilizar as cicloviaas, ou ruas, da mesma forma que a bicicleta comum. Se quiser mais informações, clique aqui e leia matéria anterior completa sobre “Como andar de bicicleta no Japão.

Bicicletas comuns ou bicicletas elétricas, qual mais popular?

A bicicleta é um meio de transporte muito popular, atingindo seu pico em 1992 com 80% dos lares japoneses que tinham bicicletas. Em 1993, a Yamaha Motor começou a vender a primeira bicicleta elétrica do mundo.

Hoje as bicicletas estão presentes em 40% dos lares, estabilizadas nesse patamar, há alguns anos. E a participação de e-bikes, nesses lares foi aumentando gradualmente e em 2018 já tinha superado a bicicleta comum. No ultimo levantamento, em 2021, já eram 790 mil e-bikes, contra 530mil bicicletas comuns, números do Ministério da Indústria.

Atenção a compra

Com o aumento das ofertas e fabricantes, a polícia recomenda alguns cuidados, além de se atentar aos valores envolvidos. O preço médio de uma e-bike é de ¥ 90.000 (US$ 690), desconfie de valores excessivamente baixos. Principalmente, mas por ter muitas marcas importadas, a loja, mesmo que on line, deve garantir que a e-bike está certificada com as normas japonesas. Provavalemente nos sites não haja informação, mas questione para evitar alguma multa ou acidente grave envolvendo sua e-bike.

Fonte: JapanTimes

0Jp_post

Relacionado (a) Postagens

Deixe um comentário