Japão irá aplicar terceira dose da vacina de reforço mais rápido

O Japão encurtará o intervalo das vacinas de reforço de COVID-19 para idosos em geral, de oito para sete meses, a partir de fevereiro do próximo ano, disse o primeiro-ministro Fumio Kishida na sexta-feira, enquanto o país intensifica os esforços para conter a disseminação da variante do coronavírus Omicron.

Um intervalo de oito meses foi definido “em princípio” entre a segunda e a terceira vacinação, mas o governo está tentando priorizar reforços para idosos e profissionais de saúde.

Kishida também disse que o Japão chegou a um acordo básico com a Pfizer para garantir 2 milhões de doses do medicamento administrado por via oral para COVID-19.

O medicamento oral COVID é considerado vital pelo Japão no combate à pandemia.

O intervalo de administração das vacinas de reforço para profissionais de saúde e pessoas com alto risco de infecção, será reduzido para seis meses, acrescentou.

Terceira dose

O Japão começou no início de dezembro a administrar a terceira dose da vacina Pfizer a profissionais de saúde inoculados com a segunda dose há pelo menos oito meses.

Atualmente, o ministério da saúde permitiu que as vacinas da vacina Pfizer e da Moderna sejam usadas em doses de reforço. A aprovação rápida do ministério foi dada à vacina da Moderna como doses de reforço na quinta-feira.

De acordo com o anúncio do governo em novembro, ele planeja fornecer 24 milhões de doses da vacina Pfizer e 17 milhões de doses da vacina Moderna aos governos locais até fevereiro.

  • Compartilhe esta postagem

Deixe um comentário