Vou ficar rico no Japão

A primeira coisa que se pensa quando se decide vir ao Japão é “vou ficar rico no Japão”, e para isso não basta só trabalhar. Temos que ter me mente tudo o que abrange a decisão de ir pro Japão e tentar uma vida nova. Já que é uma grande decisão, precisa ser planejada, além de pesquisar bastante, considerando tentar a vida no exterior.

Já imaginou chegar num apartamento completamente vazio? Essa é a dura realidade quando se chega. Você se vê num apartamento que não tem nada, e tem que preencher com o que trouxe na mala. Ou ainda com o que vai comprando, seja com a reserva que trouxe em dinheiro pra tal, ou comprando aos poucos. Para alguns é um exercício pra alma, viver com pouco e ir conquistando, para outros uma libertação, onde se torna fluído e livre pra ir e vir,  vivendo no minimalismo.

Boas vindas!

Tem algumas empreiteiras que quando a pessoa já vem do Brasil contratada por ela, para trabalhar no Japão, ganha o kit de boas vindas, que pode ser desde a panela de gohan (arroz japonês) ou futon (colchão japonês) para já ter onde dormir. A Sankyo tem esse kit de boas vindas, com mais de 20 itens, e são todos da Nitori, para quem não conhece é uma loja com produtos de muita qualidade e ótimo design, só esse kit tem valor aproximado de ¥30mil! (Aliás se eu soubesse dele, teria vindo pela Sankyo Brasil)…

O Brasil está muito longe do Japão, não só fisicamente como culturalmente são muito diferentes. É preciso considerar essas diferenças e entender se sua personalidade está pronta, e estará de acordo com a nova visão de mundo. Bem como capacidade de adaptação para essa nova realidade.  A diferença está na gastronomia, nos hábitos, no trânsito, nas formalidades e, claro na nova forma de se trabalhar com sua hierarquia, exigência e ritmo.

Os impostos

Em meados de 2010 com a crise, vieram aumentos de impostos, recolhimentos obrigatórios e com isso o salário encolheu. Teve aumento no imposto sobre consumo, de compra dos produtos, que era 0% até em março de 1989, e em 30 anos passou para 10%. Esse aumento foi uma crescente ao longo dos anos, pouco a pouco:

  • desde abril de 1989, 3%;
  • passando de 3% para 5% a partir de 1998;
  • aumentando de 5% para 8% a partir de 2016;
  • atingindo 10% a partir de 2019.

Tem que ter em mente que não é só trabalhar e trabalhar, e poupar cada iene possível, é contribuir também para a construção de uma sociedade mais equilibrada e respeitosa.

O lado muito positivo de uma economia estável como no Japão é que você consegue se planejar com seu salário. As horas extras trabalhadas também dão uma alavancada para que sua poupança fique cada vez maior, se esse for seu objetivo. Também é possivel organizar para que sua vida seja tranquila, adquirindo bens e planejando seus investimentos. Sim, aqui é possivel ficar rico no Japão, mas lembre-se de que se alimentar bem, ter algum hobbie e fazer atividade física faz o círculo perfeito para se ter uma vida longa, produtiva e feliz.

Fonte Agência Nacional de Impostos

Sogei_post

Deixe um comentário