Visto japonês sem mistérios

Você sabia que existem mais de 20 tipos de vistos disponíveis para brasileiros ir pro japão? Cada um deles tem um tempo de permanência e características específicas. E claro, junto a isso condições e documentos especificos a cada um deles.

Para ir ao Japão existem 18 tipos de visto que possibilitam que a pessoa trabalhe. Além dos vistos de trabalho, propriamente ditos, também existem vistos de atividades específicas, e dependendo do conteúdo do visto, trabalhar também é permitido. O ideal é consultar nos sites da Embaixada ou de alguma unidade consular listada mais abaixo, para ver se você qual visto seria ideal para você.

Alguns exemplos e os mais comuns são:
* Visto específico de decendente (filho de japonês- nissei, neto de japonês- sansei, e respectivos cônjuges, além do de
bisneto de japonês –yonsei);
* Visto de trabalho ( emitidos para professores, artistas, atividades religiosas, jornalistas, investidores, advogados, médicos entre outras profissões);
* Visto de negócios (emitido para curta permanência a quem for convidado por empresa japonesa).

Onde posso obter o visto japonês


Embora tenham muitos tipos de vistos, o caminho para obtê-lo é um só: o visto japonês deve ser solicitado na representação japonesa que atende a sua área de jurisdição. Veja qual poderá lhe atender por regiões:
Embaixada do Japão no Brasil abrange Distrito Federal, Goiás, Tocantins, Pará, Maranhão, Piaui e Amapá;
Consulado do Japão em Belém atende somente Pará, Maranhão, Piaui e Amapá;
Consulado-Geral do Japão em Manaus presta atendimento aos estados do Amazonas, Acre, Rondônia e Roraima;
Consulado-Geral do Japão em Recife atende Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe e Bahia;
Consulado-Geral do Japão no Rio de Janeiro assiste Minas Gerais (exceto Triângulo Mineiro), Espírito Santo e Rio de Janeiro;
Consulado-Geral do Japão em São Paulo assiste Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Triângulo Mineiro e São Paulo;
Consulado-Geral do Japão em Curitiba dá atendimento no Paraná e Santa Catarina;
Escritório Consular do Japão em Porto Alegre que atende todo estado do Rio Grande do Sul.

Para acessar o mapa das jurisdições diplomáticas, clique aqui.
Você pode tirar de forma independente, indo pessoalmente a uma das jurisdições consulares. Ou mesmo através de uma agência buscando ajuda em toda essa parte burocrática. A Sankyo trabalha em parceria com diversas agências ao redor do Brasil, que podem dar assistência para os obtenção de visto. Além disso, a Sankyo mesmo, tem uma agência em São Paulo, que pode ajudar no requerimento do visto e já passar as informações das vagas disponíveis. Mas nesse momento somente conseguiremos dar assistência ou fazer contratações somente para os descendentes.

Se você é decendente, ou cônjuge de descendente, pode optar por receber essa ajuda em São Paulo, entre em contato com nosso escritório. Temos campanhas com passagens grátis e outros benefícios. Consulte-nos.

Bem vindo ao Japão

Quantos documentos!

Para cada um dos tipos de visto, existe uma lista de documentos, que deve ser providenciado com toda atenção. Alguns documentos serão pedidos para o Japão e leva tempo, como o Certificado de Elegibilidade (Zairyu Shikaku Nintei Shomeisho) e o Koseki Tohon ou Koseki no Zenbujikoshomeisho, entre outros. Para quem está tirando seu visto pela primeira vez para trabalhar, o tempo varia muito, pode ir de 3 meses até mais de 1 ano.


Existem os documentos comuns a todos os vistos que é o:
Formulário para solicitação de visto;
Para Consulado Geral de São Paulo, adicionam-se mais dois:
– A Certidão de Antecedentes Criminais emitidos pela Polícia Federal (validade de 90 dias) (original);
– Atestado de Antecedentes Criminais emitido pela Secretaria de Segurança Pública do Estado, de onde residir (validade 90 dias) (original). Seguem os links para ajudar conforme região atendida por esse Consulado –
Mato Grosso, Mato Grosso do Sul (consulte os endereços de onde solicitar aqui), Triângulo Mineiro e São Paulo.

Visto para nissei, veja aqui

Vamos deixar a lista documentos pessoais para filho de japonês (nissei), como exemplo.
1- Passaporte original(original)- apresentar todos passaportes anteriores com vistos para Japão (original);
2- Formulário de solicitação de visto (original);
3- Foto 4,5×4,5 ou 3×4 nítida e recente;
4- Carteira de identidade/ RG do solicitante (cópia autenticada);
5- Certidão de Nascimento do solicitante (cópia autenticada);
6- Carteira de identidade/ RG do pai e/ou mãe japonesa (cópia autenticada). Caso seja(m) falecido(s) e não conste o falecimento no Koseki Tohon, apresentar Certidão de Óbito (cópia autenticada);
7- Certidão de Casamento dos pais (cópia autenticada) (Não haverá necessidade deste documento, se o casamento constar no Koseki Tohon);
8- Koseki Tohon ou Koseki no Zenbujikoshomeisho do pai ou da mãe japonês(a)(validade de 1 ano) (original e cópia simples);
9- Documento que comprove que o solicitante poderá se sustentar, durante a estadia no Japão (original). Caso garantidor seja alguém da família (pai, irmão(ã), cônjuge ou filho(a)), apresentar documento que comprove o parentesco (cópia autenticada). Poderá ser solicitado documentos do garantidor residente no Japão;
E Contrato provisório de trabalho (original).

Caso queira consultar os documentos necessários para outros tipos de visto, recomendamos acessar diretamente o site da Embaixada do Japão ou as páginas dos Consulados relacionados acima.

Afinal para que serve o Certificado de Elegibilidade

Em alguns vistos, é solicitado o Certificado de Elegibilidade. Ele nada mais é do que um documento emitido pelo Departamento de Controle de Imigração do Ministério da Justiça do Japão, para ser apresentado no momento do desembarque. Tem a função de atestar que a atividade que o estrangeiro pretende exercer no Japão está de acordo
com uma das qualificações de permanência (exceto curta permanência) definidas na Lei de Imigração. Essa solicitação pode ser feita por um procurador residente no Japão. Por isso acaba demorando um pouco.

Após a emissão do certificado de Elegibilidade, o procurador deve enviá-lo ao candidato estrangeiro, que em seguida irá solicitar o visto junto à embaixada ou consulado japonês. O estrangeiro deve desembarcar no Japão dentro de 3 meses à partir da emissão do certificado.

Vale reforçar que depois do visto concedido, nos casos em que não foi necessário o Certificado de Elegibilidade, o estrangeiro tem até 90 dias para dar entrada em território japonês. Nos casos em que houve a emissão do Certificado, a data limite é 3 meses a partir da emissão do certificado, e não da concessão do visto.

Quanto custa tirar visto japonês, afinal?

Caso você não tenha ainda o passaporte, o valor de taxa para emissão atual é de R$257,25. O valor do visto de uma entrada é de R$136,00 (válido até 31 de março de 2022), tem também para mais de uma entrada no país, e o valor varia.

O que muda e muito são as taxas gastas com cartórios e demais orgãos para emissão dos demais documentos, é muito particular e varia muito de cidade pra cidade. Mas é importante já ter em mente a quantidade de documentos, e fazer um levantamento por cima no cartório da sua cidade quanto custa as autenticações.

Fonte

Embaixada do Japão no Brasil

Relacionado (a) Postagens

Deixe um comentário