Pfizer afirma que terceira dose da vacina oferece proteção contra Ômicron

A empresa Pfizer Inc. disse, nesta quarta-feira, que uma terceira aplicação de sua vacina contra o coronavírus pode oferecer proteção suficiente contra a nova variante Ômicron, enquanto o efeito de duas doses pode ser menos eficaz, citando os resultados de um estudo laboratorial inicial.

A gigante farmacêutica dos EUA e seu parceiro alemão BioNTech também disseram que começaram a desenvolver uma vacina COVID-19 específica para Ômicron no final de novembro e acreditam que podem entregá-la em março do próximo ano, se necessário.

De acordo com estudos preliminares de laboratório, uma injeção de reforço da atual vacina COVID-19 pode aumentar em 25 vezes os anticorpos que ajudariam a combater a nova variante, proporcionando um alto nível de proteção semelhante ao observado com as duas doses antes do surgimento da Ômicron.

A mesma pesquisa mostrou que quem tomou as duas doses da vacina pode não estar suficientemente protegido contra a infecção da Ômicron. Mas os indivíduos vacinados ainda podem estar protegidos contra as formas graves da doença, acrescentaram as empresas.

“Está claro a partir desses dados preliminares que a proteção é melhorada com uma terceira dose de nossa vacina”, disse Albert Bourla, presidente e CEO da Pfizer.

“Garantir que o maior número possível de pessoas esteja totalmente vacinado com a primeira série de duas doses e um reforço continua a ser o melhor curso de ação para prevenir a propagação do COVID-19”, disse ele.

As duas empresas, entretanto, disseram que sua capacidade de produção de vacinas não deve mudar das 4 bilhões de doses anunciadas anteriormente em 2022, mesmo que uma vacina atualizada seja necessária.

  • Compartilhe esta postagem

Deixe um comentário